4 investimentos simples pra profissionalizar seu blog

by daniduc on dezembro 2, 2011

É muito simples fazer um blog sem gastar um tostão! Basta abrir uma conta no BlogSpot ou WordPress e sair digitando. Maravilha! Mas… de repente, você se pergunta, por que quase ninguém está acessando meu blog?

Um dos motivos pode ser falta de investimento.

Olha, nenhum investimento é garantido. Todo investimento envolve risco. Mas se você quer levar seu blog como negócio, é preciso alguma hora começar a arriscar, colocar a mão no bolso e apostar no seu produto.

Planeje com cuidado antes, claro, porque eu e você sabemos que dinheiro não é capim. Pra facilitar, eu listei minha avaliação de 4 investimentos simples que fiz em meu blog e me retornaram muito mais do que coloquei.

1. Domínio próprio

Esse é absolutamente básico pra um negócio. Pode vir dar em nada, você pode abandonar o blog e perder esse investimento, mas ele é tão baixo e tão básico que pode valer a pena mesmo que você tenha o blog somente como hobby.

É o mínimo pra estabelecer uma marca e nem a padoca da esquina tem coragem de por um site no ar sem domínio, que dirá um negócio que nasce e é fruto da Internet. Um must.

Uma coisa que fiz com o Ducs Amsterdam foi registrar todas as extensões possíveis: .net (oficial), .org, .com, .com.br e .nl. Todas apontam pra principal (.net).

Então quando alguém me pergunta “é ducsamsterdam ponto o quê?” eu digo “o que você quiser”. Assim não perco visitas porque alguém chutou .com.br e nem corro o risco de um engraçado querer abusar do meu domínio no futuro.

Se seu blog está iniciando, isso pode ser excessivo, mas de toda forma fica a idéia pra um futuro momento.

Custo: Algo entre USD10 e USD15 por ano por domínio, dependendo da registradora e do tempo contratado. Domínios .br custam um pouco mais.
Risco: Muito baixo

2. Hospedagem pro blog

Esse é mais delicado. Muita gente se pergunta, mas pra que vou assumir uma conta mensal se existe tanta infra de blog gratuita?

Então, verdade, existe, e entre Blogger e WordPress.com temos o grosso da blogagem mundial. Mas esses condomínios públicos de blog tem um problema: controle.

Veja só, eles foram feitos pro público aberto, o que implica no seguinte:

2.1. Blogger/Wordpress.com têm pouca flexibilidade

É tudo muito automatizado, feito pro usuário final, que não sabe e não quer saber mexer nas engrenagens porque, francamente, ele não precisa saber. Nada de errado nisso, meu pai é um deles. Ele só quer uma janela onde escrever e um botão “publicar”. Tá mais que bom, e ainda bem que existe o blogger pra atendê-lo. Mas como blogueiros profissionais, é difícil abrir mão dos recursos que ficam trancados porque o usuário final vai se confundir e provavelmente se machucar usando.

Sim, administrar seu próprio blog você mesmo dá mais trabalho, é mais arriscado e requer que você aprenda coisas técnicas. Bem vindo à profissão blog 🙂

2.2 Blogger/WordPress.com são limitados

Por segurança, esses domínios públicos de blog impedem muitos recursos que poderiam ser abusados por pessoas mal intencionadas. E, hey, tem muito recurso legal que você pode usar tendo seu próprio blog.

2.3 Você não paga, mas também não apita no Blogger/WordPress.com

Você está na mão de uma empresa terceira, no sentido que, se ela resolver travar sua conta por qualquer motivo, eles podem. Claro, uma hospedeira paga também pode fazer isso, mas quando você é um cliente pagante em uma empresa que existe pra te atender, sua vontade tem mais peso. (O Google existe pra atender os anunciantes, você é recurso – mas também não paga nada, a vida é uma troca).

2.4 Então o que usar?

Muita gente confunde o WordPress.com com o WordPress.org. É confuso mesmo. Mas não é difícil.

O WordPress.org desenvolve e distribui um software de blog, pra qualquer um baixar e instalar em seu servidor de Internet.

O WordPress.com oferece hospedagem grátis e pública de blog usando esse software. Por ser público, ele tem as limitações que citei acima.

Mas existem hospedeiras que deixam você contratar um plano de WordPress (o software) e deixam você ter controle total sobre o software, sem as limitações de uma hospedagem pública.

Por isso, o ideal é você contratar um plano de WordPress em uma hospedeira particular e ter o software do WordPress inteiramente ilimitado à sua disposição.

2.5 Servidor dedicado ou compartilhado?

Você pode ter um servidor só pra você, com quantos blogs ele aguentar… mas isso custa bem mais.

Mais em conta é um servidor compartilhado, onde várias pessoas racham um servidor. É bem mais barato e sempre é possível migrar pra um dedicado  quando seu blog começar a crescer bastante.

Eu não segui meu próprio conselho e comecei com um dedicado, mas por outros motivos… eu era administrador de sistmas profissional, e meu servidor era meu hobby. Só depois que transformei em negócio, com diversos blogs que dão lucro em meu servidor.

Esse link compara diversas hospedeiras de servidor compartilhado com WordPress.

Custo: Varia com seu plano e hospedeira. Um compartilhado dá pra pegar por menos de USD10. Eu pago USD80 num dedicado, mas eu tenho diversos blogs nele também
Risco: Depende. Se você está começando seu blog e ele está vazio ou com pouca coisa, é baixo. Se seu blog já está estabelecido no meio, com PageRank e links e muito conteúdo e você precisa migrar, o risco aumenta. É preciso planejar bem antes de tomar a decisão.

3. Tema premium pro WordPress Thesis

O ideal é você ter um tema personalizado pro seu blog. Eu sou meio manco com webdesign, e pagar um designer era muito acima do meu orçamento na época en que comecei.

Então fui pra um meio termo: comprei um tema premium chamado Thesis.

O legal do Thesis é que na verdade ele não é um tema pra WordPress. Ele é um framework, uma base que você usa pra construir seu design. Isso tem a vantagem clara de permitir você de personalizar a aparência de seu blog de maneira extremamente facilitada, então não fica aquele negócio de todos os blogs com Thesis terem a mesma cara.

Além disso, ele tem muitos recursos avançados, incluindo coisas bem legais de SEO. Uma das coisas que ele faz que ajuda bastante no SEO é simplesmente ter um código organizado. Isso quer dizer o seguinte:

Os robos do Google, Bing e afins não vêem seu lindo e descolado webdesign. Eles vêem código. Dentro do código do seu blog, eles caçam o seu conteúdo.

O Thesis tem o código organizado, sendo muito fácil achar conteúdo dentro dele. Então, só de instalar o Thesis, sem fazer mais absolutamente mais *nada*, meus acessos aumentaram no mês seguinte. Depois que comecei a exporar os recursos dele de SEO e mexer nas configurações, aumentaram ainda mais.

As desvantagens do Thesis são as seguintes: não é tão intuitivo e user friendly que nem a propaganda deles faz parecer. Você vai ter de sujar as mãozinhas em PHP, CSS e HTML, e ele tem uma certa curva de aprendizado. Se você acha que vai pagar, pá, tacar lá e sair apontando e clicando…. acho que não vai ser bem assim.

(Mas também não precisa ser nenhum programador – eu não sou – e com alguma dedicação e muita ajuda do fórum de suporte deles, dá pra se virar. Fiz o design do Ducs desse jeito).

Existe outros temas concorrentes, sendo o mais famoso o Headway, que bate justamente nesse ponto fraco do Thesis, e alega ser verdadeiramente user friendly. Ele usa recursos de arrastar e largar.

Não precisa comprar nenhum desses dois temas. Mas minha sugestão é investir em um design personalizado pro seu blog.

Thesis — http://diythemes.com/
Headway —  http://headwaythemes.com/

Custo: USD87 se você quer usar em 2 blogs, USD167 em ilimitados blogs. Eu comprei a versão ilimitada
Risco: médio-baixo. Pode ser que você não se ache no tema e perca a grana do investimento

4. Conhecimento

Investir em educação é essencial. É preciso aprender em material de estudo. Se você estuda bem sozinho, livros (principalmente ebooks), se não cursos, seminários (ou webminar), o que te ajudar a não ficar batendo cabeça pra resolver problemas que já foram resolvidos.

Por exemplo, digamos que você decidiu migrar o seu blog do Blogger pra um WordPress dedicado. Isso é um trampo razoável, é bom estudar antes pra não dar besteira. Existe um ebook que ensina exatamente isso: http://www.howtomovefrombloggertowordpress.com/

Se você não sabe inglês pra leitura ainda, gaste um tempo e um dinheiro nisso. Vale muito a pena.

Claro que existe muito recurso gratuito na net, e se você achar as suas respostas, sem precisar gastar, ótimo. Mas não refugue de abrir a carteira quando achar um recurso que irá te poupar tempo e te ajudar a ter um produto e um entendimento melhores.

Eu, por exemplo, comprei o ebook “How to write an ebook that doesn’t suck” . Me tirou muitas dúvidas no planejamento de escrever e lançar meu Guia de Amsterdam, por exemplo. Claro, fui muito além do que ele fala, adaptei muita coisa pro mercado brasileiro e mudei coisas que eu achava que ficariam melhor do meu jeito. Mas aprendi bastante também, e valeu a pena, ainda mais porque eu comprei no lançamento, quando custava menos de USD10 (agora tá 19,99).

Custo: variável, depende do produto
Risco: também variável; existem apostas mais seguras do que outras.

Érika Marques dezembro 2, 2011 às 8:30 pm

Estou radiante por ter voltado a escrever aqui 🙂 O grupo está motivando você não? 🙂

Estou pensando em hospedar o Outros Ares no King Host, já ouviu falar? Eu utilizo o blogger e ja sei mexer bem direitinho nele…. mesmo assim tive que ler bastante, acompanhar outros blogs que dão dicas de SEO, essas coisas… ms todo mundo diz, que no wordpress as coisas são diferentes.. mas difícil 🙂

Reynolds janeiro 28, 2012 às 3:42 pm

cara eu tenho muita dúvida ainda.sou iniciante tenho um blogger, não sabia como fazer um mais eu comecei a procurar como fazer como personalizar eu sou muito curioso.quando eu não sei de algo eu fuço até aprender.não sei se meu blog tá bom tenho medo de perdê-lo.cara é como se fosse um filho pra mim! quando eu tava começando a fazer meu blog fui inventar de mexer no código html sem saber e acabei papocando ele consequentemente tive que fazer tudo de novo.nesse dia eu chorei muito não tenho vergonha disso.preciso de ajuda
para que meu blog não venha a falecer.dá uma olhada lá depois vlw? abração! seu blog tá muito show.

Karla Alves Leal março 15, 2012 às 11:25 pm

Olá! Estou adorando as dicas do seu blog!
Essa semana comprei meu domínio pelo blogger e até agora não consegui configurar o novo endereço.
Me arrependi muito porque tenho um outro blog no Wordpress e na época fiz meu registro no registro.br e configurei depois sem o menor problema.
Você sabe o que acontece com o Google ou o blogger? Cheguei até a pensar em comprar um novo domínio (no registro.br) e tentar configurar no blogger, mas e o medo de não dar certo de novo?

Abs,
Karla

Vânia Albarracín setembro 3, 2012 às 4:54 pm

Esse texto me ajudou muito!

daniduc setembro 5, 2012 às 9:27 am

Bom saber 🙂

Comments on this entry are closed.

{ 3 trackbacks }

Previous post:

Next post: