É possível ganhar dinheiro com blog? Como?

by daniduc on março 25, 2012

Vamos falar de dinheiro?

Vou expor aqui um resumo bem geral de algumas coisas que aprendi sobre ganhar grana com blog.

Eu vou falar as coisas no imperativo – vou dizer isso funciona, aquilo outro é roubada etc – mas quero deixar claro uma obviedade: isso tudo é minha opinião e experiência. Não estou ditando regra e nem quero afirmar que a experiência dos outros é a mesma. Leiam sempre acrescentando “na minha opinião” e não fiquem ofendidos se eu disser “isso não funciona” quando pra você funciona. Em vez de ficar ofendido, exponha sua experiência nos comentários.

1. Estamos falando de quanto dinheiro?

Pra ser um negócio, blogs tem de serem não apenas lucrativos (e pra ser lucrativo não precisa muito; basta pagar a hospedagem e domínio, não é muito dinheiro), mas dar um dinheiro que compense o tempo investido.

O quanto é esse dinheiro varia de pessoa pra pessoa. Mas é possível, sim, viver de blog, e várias pessoas já fazem isso. Mas vamos deixar claro que 200 reais por mês não são o suficiente. Estou falando de uma renda regular de milhares de reais, um salário de verdade, entrando todo mês.

Mas pra chegar lá, só com muito trabalho duro.

2. Blog é trabalho, e trabalho duro

Uma coisa que enfrentei muito no começo foi o preconceito das pessoas: “mas você quer viver de blog?!”

Não, eu não quero viver de blog. Eu quero viver do meu trabalho. Blogs não são galinhas de ovos de ouro que ficam lá, dando dinheiro “na Internet” como se fosse uma coisa mágica, plugada em alguma fonte misteriosa de grana.

Blogs são um meio de você exercer seu trabalho de maneira honesta e tirar dinheiro com ele. Dinheiro por trabalho, é um princípio simples.

2.1 Aspectos chatos de trabalhar com blog

Se a pessoa está procurando um esquema de “trampo dos sonhos”, grana sem esforço, ficar rico rápido, melhor procurar outra coisa.

Blog, como todo trabalho, tem partes bem chatas. Tem trabalhos técnicos tediosos que você tem de fazer (SEO, por exemplo). Tem crises agudas que você tem de resolver em vez de estar tomando cerveja com os amigos (seu servidor caiu, site fora, por exemplo). Tem planejamento cuidadoso que tem de ser feito e depois executado à risca (backup, por exemplo. Se seu site for apagado inteiramente do ar AGORA, nesse minuto, o que você faz? Qual seu plano?).

Tem horas de trabalho solitário – já trabalhou de casa? Não é só alegria, acordar tarde de cuecas e bundar na Internet. Você tem de ter disciplina pra fazer o que precisa ser feito e tem de se sentir muito confortável na sua própria companhia. É, aqueles seus coleguinhas malas que você tanto reclama? Podem fazer falta, acredite.

2.2 Vai demorar pra retornar resultados

Pergunte a qualquer dono de negócio se o negócio dele começou a dar grana de cara. Ele provavelmente vai dar uma risada amarga.

Demora, e exige muito, muito esforço no começo. É ingrato; tenho duas analogias sobre blogar.

Um, blog é uma bola de neve. No começo você vai conseguir muito pouco resultado com muito esforço. Com o tempo vai ficando mais fácil e a bola vai ganhando momento, mas o perigo é desistir no início. A maioria dos blogs não completa um ano.

Dois, blog é como um navio e não um carro: com um carro você vira o volante e vê a mudança de direção no mesmo instante. Navios não: você vira o leme e até ele reagir vai um tempo. As vezes você muda um aspecto do seu blog e só vai ver se deu certo ou não depois de muito tempo.

Se você não tem paciência, recomendo outra área de trabalho.

2.3 Você precisa ser multi-tarefas

Blogagem é uma área interdisciplinar. Precisa ter texto bom, senso estético, conhecimento técnico de informática, noção de editoração e, se souber fotografia, melhor.

Não dá pra ficar naquela de “fazer só o que gosta”. O que você não quiser fazer, não quiser aprender a fazer, você vai ter de pagar alguém pra fazer.

Você pode se safar com trabalhos “meia boca” nas áreas em que você não domina, mas vai ter de fazer isso até poder pagar alguém. Mas vai ter de fazer, e fazer o melhor que puder.

2.3.1 Melhore seu texto

Agora, tem uma área que você não pode e não deve se safar: seu texto.

Olha, não me leva a mal, eu sei que todo mundo está convicto que escreve bem. Mas escrever bem não é algo que “acontece”.

Claro que existe talento individual, como em qualquer área; mas como em qualquer área existem também muitas técnicas. Você tem de aprender essas técnicas, usá-las de maneira efetiva pra lapidar seu talento e obter um resultado sempre melhor.

Um teste rápido pra ser feito é o seguinte: pergunte-se por que seu texto é bom. Se você não sabe apontar os elementos de um bom texto objetivamente, é hora de começar a estudar.

Lembre-se, um blog bem escrito é uma raridade e um excelente jeito de se destacar do oceano de mediocridade.

3. Blog como negócio – como fazer grana com seu trabalho

Um dos problemas com blogagem é que é uma área extremamente recente. De certa forma, o caminho está sendo determinado pelas pessoas vivas nesse momento — o que é muito importante.

Digo, se você pensar na imprensa tradicional, o modelo de negócios está estabelecido desde o século XVIII. A galera daquele tempo determinou o modelo básico, e tudo o que veio depois nessa área foi aplicação do modelo.

O que quero dizer é: é uma área experimental e altamente arriscada, onde temos de descobrir e formatar o modelo; não tem fórmula pré estabelecida. O que estou dizendo aqui pode ficar obsoleto em seis meses; ou pode se tornar o padrão que gerações seguirão. Não dá pra saber. Quem quer segurança… deve procurar outra área 🙂

O que é, na minha opinião, muito legal: é uma oportunidade incrível expandir a fronteira de um novo modelo de comunicação e negócios.

3.1 Não monetize seu blog; faça seu blog pra ganhar dinheiro

Eu (e muita gente) não gosto do termo “monetizar”. Monetizar é pegar um blog amador e tentar extrair algum dinheiro dele. Se você quer fazer o blog como negócio, o objetivo dele tem de ser fazer dinheiro.

Olha, eu não estou falando nenhum absurdo aqui. É a própria definição de negócio, obter lucro. Se você não está blogando com objetivo de obter dinheiro, seu blog não é um negócio.

Claro que tem muita má vontade com isso, porque pode dar a entender que você fará qualquer coisa pelo dinheiro, ou que você bloga sem prazer só pra ganhar dinheiro. Isso é absurdo. É só pensar um pouco!

Em primeiro lugar, blogar só pra ganhar dinheiro, sem prazer algum, é uma idéia fadada ao fracasso. É uma área experimental, que exige muito trabalho por muito tempo antes de começar a retornar. Existem empregos mais lucrativos, e se seu objetivo é exclusivamente a grana, cara, pegue um emprego que você não gosta das 9 as 6 em uma corporação sem alma em uma área em que você não se identifica. Vai ser, certamente, mais lucrativo do que blogar.

Dois, se você bloga sem paixão, boa sorte achando alguém que te leia; se nem você gosta do que você está fazendo!

Três, acredito que trabalhar com prazer numa área que se gosta e acredita pra fazer um produto com qualidade, ao contrário de ser incompatível de fazer isso por dinheiro, é exatamente a melhor maneira de fazer dinheiro.

Então, largue de “monetizar” seu blog e bora transformá-lo em um veículo de comunicação feito com paixão e qualidade para ser economicamente viável!

3.2 Os modelos de obter dinheiro com seu blog

Dificilmente você terá um modelo único pra compor a sua renda. Existem muitos caminhos pra um blog dar dinheiro, e o mais comum é você compor diversos pra um resultado mensal. É o que eu faço, ao menos. Vou explicar alguns dos caminhos mais comuns.

3.2.1 Publicidade – adsense (e redes similares)

Esse é o modo mais óbvio – e o menos lucrativo por transação. Pra obter uma renda significativa com o adsense você tem de ter duas coisas: 1. Tráfego brutal e 2. Posicionamento agressivo dos anúncios.

Veja, é perfeitamente possível viver de adsense. Muita gente vive somente desse modelo. Mas…

Na minha opinião, há maneiras mais lucrativas, que dão muito mais dinheiro por pageview.

Vantagens: prático e simples; retorno rápido com relativamente pouco esforço na ferramenta em si
Desvantagens: exige tráfego extremamente alto pra dar retorno significativo, posicionar anúncios agressivamente, baixa lucratividade

3.2.2 Publicidade – venda direta

Mas se você não quiser pagar o Google pelo trabalho de achar os anunciantes pra você, cobrar deles e buscar os anúncios, você pode fazer isso você mesmo e passar a vender espaço publicitário no seu blog.

Você fica com a parte que seria do Google e obtém mais lucro pelo espaço.

Mas pra isso você tem de caçar os anunciantes. Um jeito tradicional é preparar um “media kit”. Um media kit nada mais é que um material com informações do seu blog para promovê-lo como um veículo atrante para anunciantes.

É comum colocar um perfil do seu blog,do seu público (tão específico quanto possível, e muita gente faz pesquisa pra obter esses dados), seus acessos, perfil de navegação, citações de seu blog na imprensa e coisas assim.

Eu não tenho uma boa experiência com esse tipo de publicidade. As negociações são enroladas, difiíceis, e o retorno muito instável. Às vezes você investe dezenas de emails em contatos e aí… não fecha o anúncio.

Vantagens: maior lucratividade por anúncio
Desvantagens: retorno instável, negociações trabalhosas que não dão em nada

3.2.3 Afiliados

Afiliados é vender produtos ou serviços de terceiros em troca de uma comissão. Na minha experiência é muito mais lucrativo do que publicidade.

O problema é que você tem de achar algo que o seu público queira comprar. Não adianta vender bicicleta pra saci, e achar um afiliado que case com seu público e seja sério no comissionamento e pagamento, é difícil.

Mas quando acha algo que casa, pode ser bem lucrativo.

Vantagens: lucro maior do que publicidade (na minha experiência), relativa facilidade de uso da ferramenta
Desvantagens: é preciso achar um afiliado que funcione pro seu público e que ofereça boas comissões

3.2.4 Publieditorial (“post patrocinado” ou “matéria paga”)

Uma outra maneira de fazer anúncio mais lucrativamente é escrever um artigo patrocinado, conhecido no jargão de blogs como “publieditorial”.

O anunciante entra em contato contigo e propõe uma pauta: um produto, um serviço, um destino turístico. E você escreve um artigo sobre ele.

É uma área sensível, pois o blogueiro está misturando o editorial com o comercial, e para ser feito com credibilidade, a coisa mais importante é deixar absolutamente claro pro leitor que aquele artigo é patrocinado.

Não esconda em uma tag pequenina chamada “publieditorial”, só por desencargo e poder se defender depois dizendo que avisou, sim. Ponha grande, óbvio, bem claro que recebeu por escrever aquela opinião. Não é vergonha nenhuma (se fosse, você não estaria fazendo, certo?) Olha, vou estressar isso: marque o mais claramente possível o que é publieditorial.

Muitos blogueiros evitam o problema de “e você critica produto que te pagou?” pré-selecionando os produtos e só aceitando fazer publieditorial de produtos que eles realmente acreditam, declinando os que o blogueiro teria de criticar.

Eu vou dizer que, apesar de não achar errado as pessoas fazerem, não faço publieditoriais. Prefiro manter, nas palavras do meu pai, “a redação num andar diferente do comercial”.

Vantagens: lucro alto, às vezes benefícios extras (ganhar o produto, por exemplo)
Desvantagens:  pode cansar os leitores se feito com freqüência, produtos em que se acredita não são tantos assim, dois fatores que podem limitar a renda

3.2.5 Seu próprio produto

Ah, agora começamos a falar de dinheiro mais sério: em vez de vender o produto de outros, você passa a vender seu próprio produto. O lucro aumenta incrivelmente e seu blog passa a ser um veículo de marketing pro seu trabalho.

Esse é, na minha opinião, o melhor jeito de obter uma renda com blog.

Agora, obviamente que é trabalhoso — e arriscado. Você tem de fazer seu próprio produto, e tem de fazer todo o marketing e as vendas e a contabilidade tudo você mesmo.

E fazer um produto envolve investimento, e nada garante que você terá retorno do investimento. É como qualquer negócio! Tem de por as caras… e arriscar!

Ah, preciso dizer uma coisa: nem pense em fazer um produto e sair vendendo se você mesmo nunca comprou nada em blog. É que nem tatuador sem tatuagem: se nem você acredita no modelo… além disso, a experiência como consumidor é essencial pra te guiar como vendedor. Sem estar do outro lado, como saber onde aperta o calo?

Vantagens: alta lucratividade, satisfação de ter seu próprio produto
Desvantagens: trabalhoso e arriscado, requer investimento

3.2.6 Serviços

Similar ao seu próprio produto, agora é o seu serviço que você está vendendo através seu blog. É, teoricamente, um setor altamente lucrativo, mas eu ainda não tenho experiência com ele.

Mas por exemplo: você é programador, e faz um blog sobre programação. Acaba obtendo um renome e o blog passa a atrair os clientes que solicitam programas.

Ou você faz brigadeiros deliciosos e tem um blog de culinária.

Ou o inverso: você acha algo que case com o tema do seu blog e passa a fazer. Dar cursos, por exemplo, ou palestras.

Vantagens: achar clientes mais facilmente
Desvantagens: além de blogar você tem de fazer o serviço, e o tempo de um pode comer o tempo de outro, estagnando uma das pontas

3.2.7 Parcerias ou sociedades

É uma expansão do ítem anterior: às vezes você não provê o serviço, mas sabem quem provê. E aí você forma uma parceria e cobra uma comissão/taxa por mandar os clientes para o parceiro.

Mas isso não seria um afiliado?

A diferença é que você não precisa estar restrito a algo que já exista, como no afiliado – você pode criar o serviço com o parceiro! Ir atrás de alguém que queira fazer o serviço e inventa e concorda em um modelo de negócio e remuneração.

O afiliado é uma empresa, produto ou serviço que já tem o seu modelo de negócio pronto, e o modelo de comissionamento estabelecido e funcionando.

Com a parceria, você pode ir atrás de alguém que queira oferecer aquilo, às vezes você mesmo identificando a oportunidade de negócio.

Isso te dá muito mais poder de barganha e flexibilidade na negociação.

Vantagens: identificar oportunidades de negócio ainda não exploradas, maior poder de negociação (potencialmente com maiores benefícios)
Desvantagens: confiança é fudnamental, e infelizmente é também item raro no mercado. Cautela.

4. Conclusão: experimente e combine

Apesar de extenso, esse artigo não é um guia completo. Não quero ter a pretensão de dizer que cobri todas as áreas, nem que o que disse é fato. Procurei passar minha experiência e entendimentos, para ajudar a dar um norte para quem está iniciando.

Mas uma coisa é certa na minha experiência: raramente você irá ter um modelo apenas. Para compor uma renda que seja um salário, muito provavelmente você irá combinar diversas das maneiras que citei. Não precisa ser todas, e cada blog irá achar a combinação que sirva para si.

E o jeito de achar essa combinação é testando. Teste os modelos, veja o que funciona pra você. E monte um conjunto de fontes de renda associadas ao blog que somado resulte numa renda que permita você responder a temida pergunta: “o que você faz pra viver?” com um orgulhoso:

– Eu tenho um blog!

David março 25, 2012 às 1:40 pm

Daniduc,
Parabéns pelo post!
Estou iniciando no ramo e pensamos parecido. Não acredito que seja viável manter algo por muito tempo se não falo do que eu acredito ou faça por amor.

Ainda não falo sobre algo específico, mas tenho buscado melhorar minhas postagens, e tento buscar inspiração em páginas como as suas.

Mais uma vez Parabéns!

David Costa

Renata junho 26, 2012 às 6:46 pm

meu marido é teu leitor, descobriu o blog quando começou a fazer um mestrado na Holanda (à distância) e teve ir a Amsterdam.

publico um blog há pouco mais de um mês sobre moda, e te confesso, que, de cara, eu me surpreendi com a repercussão: já tive outros blogs que não barraram a incrível marca de dez acessos… hahaha e esse aí já tem mais de dez mil visitas.

depois, veio a dúvida. E agora? O que é que eu vou fazer com isso? Ou, traduzindo, será que eu posso ganhar dinheiro com meu blog? Nesse ramo da moda, tem mta picaretagem, o que é meio ruim, mas tb tem mta gente boa vivendo sim de blogs e eu pensei, por que não eu, que sou jornalista, sei escrever e fotografar? E ja consegui um espaço, afinal, acho que é bastante coisa essa gente toda interessada no que eu falo!

enfim, mais ainda estou muito no comecinho e a dica insistente do meu marido já surtiu efeito! gostei mto desse post e vou te acompanhar mais de perto! mto obrigada por compartilhar 🙂

abs!

daniduc julho 22, 2012 às 9:16 pm

oi renata, que legal saber da sua história! Concordo totalmente contigo: escrever e fotografar é sua profissão, o blog é a plataforma. Bora, que esse é o futuro!

Não esqeuça de assinar o blog pra receber os posts novos por email, que ainda vem bastante coisa legal por aí. mande um abraço pro seu marido e agradeça a indicação! Um abraço e sucesso!

Ana Silva julho 8, 2012 às 4:00 am

Daniduc muito obrigada por dividir sua experiencia e conhecimento com outras pessoas como eu que estão aprendendo. Que não lhe falte inspiração nem vontade de trabalhar. Fartura e bonança para ti sempre.

daniduc julho 22, 2012 às 9:13 pm

Oi Ana Silva. Fico feliz que as dicas sejam úteis e obrigado pelas boas palavras e pelos votos! Retribuo com um abraço!

Camila Torres janeiro 18, 2013 às 5:18 am

Oi Dani,
Esse seu blog tb é legal, parabéns!
Uma duvida: vi q vc botou um anuncio do booking.com no Ducs Amsterdam. Vc tomou a iniciativa ou eles te contactaram? To pensando em colocar tb, aí queria entender melhor. Aqueles anúncios do Google só enfeiam o blog.
E o do Hotéis.com, vc analisou tb? Ele me pareceu mais complicado de entender.
Espero não estar fazendo perguntas indiscretas!
Obrigada!

daniduc fevereiro 8, 2013 às 7:49 pm

Oi camila. Eu tomei a iniciativa. Eu Nào analisei o Hoteis.com, eu procurei o Booking porque é o que eu usava desde antes de ter o blog. Pregunte sempre! Um abraço

Comments on this entry are closed.

{ 1 trackback }

Previous post:

Next post: